CARTA DE SERVIÇOS

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA

SERVIÇOS DA PERÍCIA OFICIAL PRESTADOS NO ESTADO DO PIAUÍ NA ÁREA CRIMINAL


ABRIL/2021
Versão 1.4

 

Gerada
08/12/2021 04:18:25





SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO
1.1 ESTRUTURA DA CARTA
1.2 ENDEREÇOS DOS ÓRGÃOS
1.3 ORGANOGRAMA DA PERÍCIA OFICIAL
1.4 MAPA DO ESTADO, COM REGIONAIS MARCADAS
2. COMO REQUISITAR A PERÍCIA OFICIAL
3. SERVIÇOS OFERECIDOS PELA PERÍCIA OFICIAL ESTADUAL


1. INTRODUÇÃO

Esta "Carta de Serviços" tem por objetivo informar aos operadores do Direito, mais especificamente os delegados de polícia, magistrados, membros do Ministério Público, , defensores públicos, procuradores do estado e policiais militares, sobre a multiplicidade de serviços que os órgãos periciais oficiais disponibilizam em matéria de perícias na área criminal. É fruto de um trabalho de consultoria e pesquisa feitas pelos peritos oficiais, sem qualquer ônus para administração.

O Código de Processo Penal brasileiro autoriza a solicitação de exames diretamente ao órgão executor da perícia, como se pode conferir a seguir.

Art. 178. No caso do Art. 159, o exame será requisitado pela autoridade ao diretor da repartição, juntando-se ao processo o laudo assinado pelos peritos.

Assim, quando um dos usuários da perícia que tenha a prerrogativa funcional de requisitar exames periciais necessitar de tais serviços, poderá solicitar diretamente ao Diretor do Órgão de Perícia.

Recomenda-se que os requisitantes legais de exames periciais procurem manter contato direto com os gestores da perícia para esclarecer previamente quaisquer dúvidas e garantir a correta elaboração das requisições de exames periciais e quesitos, ou para outras necessidades que cada caso apresente.



1.1 ESTRUTURA DA CARTA

A Carta de serviços está assim organizada:

      1. Endereço e telefones do órgão central coordenador na capital;
      2. Organograma da perícia oficial no estado;
      3. Mapa do estado com a indicação das cidades-sede de unidades regionais;
      4. Descrição de cada área pericial, iniciando pelas de abrangência geral para
        todo estado;
      5. Indicação de qual órgão presta o respectivo serviço;
      6. Informações necessárias para requisitar de forma correta a perícia oficial;
      7. Lista dos exames periciais oferecidos na área em apresentação;



1.2 ENDEREÇO DOS ÓRGÃOS

DEPARTAMENTO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA

RUA FRANCISCA DE MELO LOBO, S/N, Bairro SACY, Cep. 64.020-430, Teresina-PI
COMPLEXO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA
Telefone: (86) 3-2165-273_
E-mail: dptc@pc.pi.gov.br

INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA

RUA FRANCISCA DE MELO LOBO, S/N, Bairro SACI, Cep. 64.020-430, Teresina-PI
COMPLEXO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA
Telefone: (86) 3-2165-258_
E-mail: direcao.ic@pc.pi.gov.br

INSTITUTO DE DNA FORENSE

RUA GOV RAIMUNDO ARTUR DE VASCONCELOS, 995, Bairro PORENQUANTO, Cep. 64.002-508, Teresina-PI
AO LADO DO COMPLEXO DE DELEGACIAS ESPECIALIZADAS
Telefone:
E-mail:

INSTITUTO DE IDENTIFICAÇÃO

RUA BARROSO, 219, Bairro CENTRO/SUL, Cep. 64.001-380, Teresina-PI
PRAÇA SARAIVA
Telefone: (86) 3-2165-240_
E-mail: iijdmpi@pc.pi.gov.br

INSTITUTO MÉDICO LEGAL

RUA FRANCISCA DE MELO LOBO, S/N, Bairro SACI, Cep. 64.020-430, Teresina-PI
COMPLEXO DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA
Telefone: (86) 3-2207-373_
E-mail: direcaoestadual@iml.pi.gov.br

NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - BOM JESUS

PRAÇA GILSON COELHO, S/N, Bairro PENITENCIÁRIA, Cep. 64.900-000, Bom Jesus-PI
SALA DO NMPTC, NA DELEGACIA REGIONAL DE DELEGACIA REGIONAL DE BOM JESUS
Telefone:
E-mail: bomjesus.dptc@pc.pi.gov.br

NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - PARNAÍBA

RUA DR. MANOEL LUCAS, 498, Bairro FREI HIGINO, Cep. 64.200-000, Parnaíba-PI
AO LADO DO HOSPITAL COLÔNIA DO CARPINA
Telefone: (86) 3-3228-238_
E-mail: parnaiba.ic@pc.pi.gov.br

NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - PICOS

RUA SÃO SEBASTIÃO, 1311, Bairro CANTO DA VÁRZEA, Cep. 64.600-000, Picos-PI
SALA DO NRPTC, NA DELEGACIA REGIONAL DE PICOS
Telefone: (89) 9-9430-0551
E-mail: picos.dptc@pc.pi.gov.br

NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - SÃO RAIMUNDO NONATO

PRAÇA CEL. JOÃO ANTUNES DE MACÊDO, S/N, Bairro GAVIÃO, Cep. 64.770-000, São Raimundo Nonato-PI
SALA DO NMPTC, NA DELEGACIA REGIONAL DE SÃO RAIMUNDO NONATO
Telefone: (89) 9-9942-9679
E-mail: srn.dptc@pc.pi.gov.br

NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - CORRENTE

AVENIDA JOÃO LEMOS PARAGUASSÚ, S/N, Bairro NOVA CORRENTE , Cep. 64.989-000, Corrente-PI
SALA DO NRPTC, NA DELEGACIA REGIONAL DE CORRENTE
Telefone:
E-mail: corrente.dptc@pc.pi.gov.br

NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTIFICA - FLORIANO

AVENIDA JOÃO LUÍS FERREIRA, , Bairro CENTRO, Cep. 64.800-000, Floriano-PI
SALA DO NRPTC, NA DELEGACIA REGIONAL DE FLORIANO
Telefone:
E-mail: floriano.dptc@pc.pi.gov.br

NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - PIRIPIRI

RUA JOÃO DAMASCENO, , Bairro CENTRO, Cep. 64.260-000, Piripiri-PI
SALA DO NRPTC, NA DELEGACIA REGIONAL DE PIRIPIRI
Telefone:
E-mail: piripiri.dptc@pc.pi.gov.br

NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - URUÇUÍ

RUA PISTA POUSO, S/N, Bairro AEROPORTO, Cep. 64.860-000, Uruçuí-PI
SALA DO NRPTC, NA DELEGACIA REGIONAL DE URUÇUÍ
Telefone:
E-mail: urucui.dptc@pc.pi.gov.br



1.3 ORGANOGRAMA DA PERÍCIA OFICIAL



1.4 MAPA DO ESTADO, COM ÓRGÃOS DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA

Imagem responsiva

* O mapa representa o projeto de expansão do DPTC para atendimento de todas as regiões do Piauí.
** Alguns dos núcleos representados no mapa podem ainda não estar em funcionamento.



2. COMO REQUISITAR A PERÍCIA OFICIAL

Em conformidade com a Portaria Nº 025-GDG/AN/2017 que estabelece normas para entrega de requisições, acompanhamentos de demandas e acesso a documentos periciais sigilosos, a Portaria Nº 026-GDG/AN/2017 que regulamenta os atos de comunicação, solicitação e atendimento de exames periciais em locais de crime, e a Portaria Nº 010-GDG/AN/2020 que padronizar a forma recebimento e entrega de demandas nos órãos periciais.

Os exames perícias realizados devem ser solicitados através de requisições de perícia encaminhadas ao diretor do órgão competente, via ofício.
Em se tratando de perícia externa, o local ou objeto da perícia deve estar isolado e preservado até a chegada dos peritos oficiais.
Nas perícias internas, os materiais que serão periciados devem ser entregues no respectivo órgão seguindo as observações contida em cada exame elencado neste documento, a fim de preservar a integridade da prova e não comprometer o resultado da análise pericial.

As requisições de exame pericial deverão conter obrigatoriamente as seguintes informações:

      1. nome da instituição requisitante e nome da instituição para a qual o laudo deve ser encaminhado, caso seja diversa da requisitante;
      2. nome do exame, conforme Carta de Serviços do DPTC, constando apenas um por requisição; III - número do Boletim de Ocorrência gerado por sistema informatizado;
      3. tipo penal investigado no caso em questão;
      4. data e hora do suposto fato delituoso;
      5. descrição dos objetos e especificação do endereço no qual a perícia será realizada, quando se tratar de perícia fora da sede do órgão pericial;
      6. descrição genérica dos objetos a serem periciados, quando se tratar de perícia em objetos entregues no órgão pericial; VIII - qualificação da vítima, quando se tratar de exame a ser realizado em pessoa ou cadáver; IX - qualificação do investigado, quando houver;
      7. cópia do boletim de ocorrência ou descrição, na própria requisição, do histórico da ocorrência, necessários para a compreensão do caso e realização da perícia;
      8. quesitos formulados pelo requisitante, para determinar a abrangência dos exames e para explicitar a necessidade de alguma informação específica;
      9. nome, matrícula e assinatura do requisitante;
      10. data do documento.
      11. também obrigatória a inclusão na requisição pericial, conforme o tipo e a fase do procedimento, sempre que tais números de ordem já tiverem sido gerados pelo sistema informatizado:
        1. número do auto de prisão em flagrante(APF ou AAA);
        2. número do inquérito policial;
        3. número do termo circunstanciado de ocorrência (TCO);
        4. número do processo judicial;
        5. número do inquérito policial militar;

Em regra, para a realização dos exames periciais externos, o perito deve estar de posse da respectiva requisição pericial, a fim de delimitar o escopo e amplitude do exame que serão realizados. As alternativas e exceções a esta regra estão descritas na Portaria Nº 026-GDG/AN/2017.

Os requisitantes devem atentar para seguintes observações ao encaminhar objetos para exame:

      1. a descrição quantitativa do objeto pode ser expressa por valores aproximados nos casos de quantidade numerosa de material de fácil fragmentação e/ou de difícil contagem;
      2. a descrição qualitativa do objeto pode ser expressa por valores aproximados quando se referir a características que serão objeto de constatação pelo perito, tais como peso e dimensões, evitando-se a ocorrência de conflitos entre a descrição contida na requisição e no laudo pericial;
      3. caso seja necessário solicitar mais de um exame de setores periciais distintos em um mesmo objeto, será exigido uma requisição para cada exame;
      4. objetos de natureza distinta devem vir em invólucros separados;
      5. a descrição quantitativa ou qualitativa efetuada nos moldes dos itens acima deve conter a expressão 'aproximadamente'.

Podem requisitar perícias aos órgão deste departamento os seguintes funcionários públicos:

      1. delegados de polícia;
      2. magistrados;
      3. membros do Ministério Público;
      4. procuradores do estado, no interesse de apurações administrativas e disciplinares;
      5. policiais militares, quando encarregados de Inquérito Policial Militar ou de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO);
      6. diretores de órgãos periciais vinculados ao DPTC/PI;
      7. peritos oficiais, quando forem necessárias perícias complementares para compor seus laudos.

Na ausência de espaço físico ou local adequado para armazenamento no prédio da instituição pericial em função da quantidade, volume ou natureza do material apreendido, este não deverá ser encaminhado, devendo ficar na própria instituição requisitante ou em outro local apropriado, onde deverá ser oportunamente examinado por perito designado pela direção do órgão pericial após terem sido requisitados os correspondentes exames.

Nos casos em que o procedimento policial correr sob sigilo ou quando houver por parte da autoridade requisitante interesse na reserva quanto à divulgação do conteúdo dos laudos periciais, tal condição deverá ser mencionada de forma destacada na requisição pericial, sob o termo “SIGILOSO”.

Caso a requisição de exame pericial não cumpra as exigências, o funcionário do Departamento de Polícia Técnico-Científica deve devolver prontamente ao requisitante a fim de realizar as correções necessárias.



3. SERVIÇOS OFERECIDOS PELA PERÍCIA OFICIAL ESTADUAL


INSTITUTO DE CRIMINALÍSTICA

BALÍSTICA FORENSE - ICRIM

Objetivos:
Examinar o(s) objeto(s), determinando as características básicas (peso,
dimensões) , eficiência, compatibilidade entre os ente eles, calibre, número de lote, vestígios se sangue, se foi expelido mediante disparo de arma de fogo, se as munições são de uso restrito ou de uso permitido, se poderão ser utilizados em futuro exame de comparação balística. Determinar as características básicas e a eficiência de objetos que imitam armas de fogo para perpetração de crimes.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual a espécie das armas e/ou munições?
  2. Qual o calibre das armas e/ou munições?
  3. As armas apresentam-se municiadas?
  4. Qual o estado de uso e conservação das armas e munições
  5. Poderiam ter sido usadas eficazmente na realização de disparos?
  6. Apresentam marca, numeração ou qualquer sinal de identificação suprimido ou alterado?
  7. Apresentam vestígios produzidos por disparos recentes?
  8. Quais as características do objeto submetido a exame?
  9. Qual o formato do referido objeto?
  10. O objeto pode ser usado na prática de crime?
  11. Quais as características do objeto submetido a exame?
  12. Qual o calibre do projétil apresentado a exame?
  13. Da forma como se encontra é possível submetê-lo a realização de futuro exame de comparação balística?
  14. Há na arma, manchas de sangue? (*Quesito NÃO RECOMENDADO 01)
Observações:
  • Quesito não recomendado 01: Este tipo de quesito só deve ser empregado nos casos em que sua resposta seja determinante para investigação, pois para que seja feita esta análise, há um aumento do tempo e custo de realização do exame.
  • Na Requisição, quando citar o número de identificação da arma é importante que venha acompanhado do termo
  • “aparentemente” ou “supostamente” uma vez que o exame pode revelar outra numeração. Deve conter também
  • quantidade e tipo CORRETO de material encaminhado

BALÍSTICA FORENSE - MICROCOMPARAÇÃO - ICRIM

Objetivos:
Confrontar estojos e projeteis, tendo como finalidade determinar se aqueles foram percutidos ou se estes percorreram o cano da mesma arma de fogo.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o calibre do(s) projétil(eis) e/ou estojo(s) submetido(s) a exame?
  2. A arma encaminhada a exame se encontra em bom estado de uso e conservação? Pode ser utilizada eficazmente para a realização de disparo?
  3. Qual a espécie, calibre e número de série da arma de fogo submetida a exame?
  4. E possível afirmar que o(s) projétil(eis) de arma de fogo que foram encaminhados(s) percorreu(am) o cano da arma de fogo submetida a exame?
  5. E possível afirmar que o(s) estojo(s) de arma de fogo encaminhados(s) foi(ram) percutido(s) pela arma de fogo submetida a exame?
  6. E possível afirmar que o(s) projétil(eis) de arma de fogo que foram encaminhados(s) percorreu(am) o cano da mesma arma de fogo?
  7. E possível afirmar que o(s) estojo(s) de arma de fogo encaminhados(s) foi(ram) percutido(s) pela mesma arma de fogo?
Observações:
  • A autoridade requisitante deve ser criteriosa na análise da real necessidade de solicitação deste tipo de exame, dada a complexidade e tempo necessário para sua realização.
  • Podem ser requisitadas comparações de estojos com estojos, projetil com projétil.

CONTABILIDADE FORENSE - ICRIM

Objetivos:
Constatação quanto à materialidade, veracidade e legalidade das informações contábeis e financeiras do(s) objeto(s) analisado(s) para estabelecimento de nexo causal e produção de prova material por meio do Laudo Pericial Contábil.

COORDENAÇÃO - ICRIM

Objetivos:
Tem como objetivo dar uma resposta administrativa a uma requisição pericial, por motivos diversos.

DESENHO TÉCNICO - ICRIM

Objetivos:
Trata-se de um serviço disponível apenas internamente, onde um desenhista profissional elabora croquis esquemáticos de locais de crime a pedido do perito oficial, com a finalidade de compor o laudo pericial.

DOCUMENTOSCOPIA FORENSE - ICRIM

Objetivos:
Verificar a autenticidade de cartões magnéticos face aos seus elementos de segurança, bem como atestar a compatibilidade de outros cartões plásticos diante de padrões específicos aplicáveis.
Quesitos mais comuns:
  1. O cartão questionado é verdadeiro ou falso?
  2. Em que consiste a falsificação?

Objetivos:
Aferir a legitimidade de determinada moeda, seja ela nacional ou estrangeira.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o valor nominal, número de série e estampa da moeda apresentada a exame?
  2. A moeda questionada é verdadeira ou falsa?
  3. Qual o processo empregado na falsificação?

Objetivos:
Verificar a capacidade de certo petrecho de produzir documentos falsos.
Quesitos mais comuns:
  1. Os apetrechos objetos de exame podem ser utilizados eficazmente na confecção de documentos falsos ou na eventual alteração/adulteração de documentos originais?

Objetivos:
Determinar a sequência cronológica dos lançamentos verificados em um documento.
Quesitos mais comuns:
  1. O lançamento questionado "A" (discriminar) precede ou sucede o lançamento "B" (discriminar)?

Objetivos:
Determinar se a peça questionada contém os elementos caracterizadores dos documentos originais semelhantes.
Quesitos mais comuns:
  1. O documento questionado é verdadeiro ou falso?
  2. Em que consiste a falsificação?

Objetivos:
Comprovar se a assinatura ou o manuscrito questionado é produto do punho escritor do titular, ou não.
Quesitos mais comuns:
  1. A assinatura/manuscrito questionado proveio do punho escritor de (nome do titular)?

Objetivos:
Comprovar se a assinatura ou o manuscrito questionado provieram do punho escritor do suspeito.
Quesitos mais comuns:
  1. A assinatura/manuscrito questionado proveio do punho escritor de (nome do suspeito), passando-se por (nome do titular)?

Objetivos:
Estabelecer a compatibilidade de dois ou mais documentos entre si, determinando se provieram da mesma matriz de produção.
Quesitos mais comuns:
  1. Os documentos examinados são material e formalmente idênticos entre si?
  2. Os documentos examinados foram confeccionados pela mesma matriz ou mediante o mesmo processo de produção?

Objetivos:
Confrontar grafismos de punhos escritores indefinidos ou, ainda, nos casos em que não há perfeita qualificação do fornecedor dos padrões.
Quesitos mais comuns:
  1. As assinaturas/manuscritos examinados são compatíveis entre si?
  2. As assinaturas/manuscritos examinados foram produzidos pelo mesmo punho escritor?

Objetivos:
Analisar as características morfológicas da impressões papilares presentes em documentos, identificar os pontos característicos individualizadores, quanto à forma, direção e sentido das linhas formadoras do campo papilar, para afirmar de forma inequívoca se as impressões digitais pertencem a um só indivíduo ou a indivíduos diferentes
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do documento examinado?
  2. É possível a analise das impressões papilares contidas no documento?
  3. Consultando o banco de dados há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares apostas no documento?
  4. Há outros dados julgados úteis?

IDENTIFICAÇÃO VEICULAR - ICRIM

Objetivos:
Identificar veículo através da análise de seus selos, numerações, revelando, quando necessário, as gravações suprimidas em superfície metálica, fazendo uso de polimentos e aplicação reagentes químicos.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve adulteração no NIV, motor, câmbio, placas ou plaquetas?
  2. Caso positivo, quais os caracteres adulterados?
  3. Qual o processo empregado para adulteração?
  4. Qual o tipo de adulteração?

Objetivos:
Analisar componente veicular(placas, selos, chassi, motor, câmbio, etc.) isolados, em busca de adulterações, revelando, quando necessário, as gravações suprimidas em superfície metálica, fazendo uso de polimentos e aplicação reagentes químicos.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve adulteração no objeto da perícia?
  2. Caso positivo, quais os caracteres adulterados?
  3. Qual o processo empregado para adulteração?
  4. Qual o tipo de adulteração?

INFORMÁTICA FORENSE - ICRIM

Objetivos:
Identificar a data, origem e o autor de acesso, indevido ou não autorizado, identificando o endereço IP do equipamento, através de logs (registros computacionais).
Quesitos mais comuns:
  1. É possível a identificação da origem e do autor de acesso, indevido ou não autorizado, a informações de banco de dados?
  2. É possível a identificação da origem e do autor que, de forma indevida ou não autorizada, apagou, destruiu, inutilizou ou modificou dado/programa do computador, ou dificultou/impossibilitou o uso de computador ou rede?

Objetivos:
Materializar, identificar a origem e o autor do crime praticado em ambiente computacional distribuído (internet e local remoto).
Quesitos mais comuns:
  1. É possível proceder a exames visando a identificar ambiente computacional distribuído, internet e local remoto?
  2. É possível a identificação da origem e do autor de acesso, indevido ou não autorizado, a informações de banco de dados?
  3. É possível a identificação da origem e do autor que, de forma indevida ou não autorizada, apagou, destruiu, inutilizou ou modificou dado/programa do computador, ou dificultou/impossibilitou o uso de computador ou rede?

Objetivos:
Extrair o conteúdo (do celular, cartão SIM, cartão de memória), mensagens SMS, chamadas, contatos, registros de aplicativos (whatsapp, telegram, snapchat, facebook messenger, etc), que contenha informações relacionadas ao crime em questão.
Quesitos mais comuns:
  1. O usuário do equipamento fez uso do aplicativo ___________ no período compreendido entre _________ e ___________ do ano _______?
  2. É possível a recuperação de chamadas e mensagens de texto no período compreendido entre _________ e ___________ do ano _______?
  3. É possível a recuperação de dados contidos na memória ou em cartões de memória?
  4. É possível a recuperação de dados contidos nas memórias do aparelho telefônico celular?
  5. É possível constatar a existência de registros (documentos, imagem, ou vídeos) relacionados ao crime de __________________ ?

Objetivos:
Identificar e caracterizar dispositivos (clonadores de cartão de crédito, dispositivos de captação remota de áudio e vídeo, etc) e mostrar a sua utilidade, e quando possível, recuperar arquivos perdidos ou apagados de equipamentos que contenham algum registros relacionado ao crime questionado.
Quesitos mais comuns:
  1. O material periciado se encontra apto a uso?
  2. Quais as características do material periciado, bem como, marca, modelo e número de identificação?
  3. É possível a recuperação de dados contidos nas memórias do aparelho submetido a exame?
  4. É possível constatar a existência de registros (documentos, imagem, ou vídeos) relacionados ao crime de __________________ ?

Objetivos:
Identificar a materialidade, origem e o autor de dados arquivados em registros digitais (disquete, CD, DVD, pen drive, etc.), em busca de evidências relacionadas ao crime em questão.
Identificar a origem e o autor, que de forma indevida ou não autorizada, apagou, destruiu, inutilizou ou modificou dado ou programa de computador.Descrever os registros (imagens, vídeos, registros de diálogos, acessos a páginas da internet, buscas realizadas, etc) encontrados no equipamento que estejam relacionados ao crime em questão.
Quesitos mais comuns:
  1. O material periciado se encontra apto a uso?
  2. Quais as características do material periciado, bem como, marca, modelo e número de identificação?
  3. Foram encontrados sites acessados no material submetido a exame relacionados ao crime de _______________?
  4. O usuário do equipamento fez uso do aplicativo ___________ no período compreendido entre _________ e ___________ do ano _______?
  5. Existe possibilidade de recuperação de arquivos ou mensagens eletrônicas extraídas do objeto relacionadas a _____________?
  6. É possível identificar a origem e o autor de acesso, indevido ou não autorizado?
  7. É possível identificar a origem e o autor de dados arquivados nos registros digitais (disquetes, CD, DVD, pen drive, etc.), em busca de evidências de práticas do crime de ______________?
  8. É possível proceder a exames dos equipamentos de informática, programas e dados arquivados nos registros digitais (disquetes, CD, DVD, pen drive, etc.), em busca de evidências de práticas do crime de _______________?
  9. É possível proceder a exames nos sistemas de informações?(orientado para a compreensão da funcionalidade dos programas de computadores)
  10. Há outros dados julgado úteis?
  11. Há submissão de criança ou adolescente em cenas com teor obsceno confeccionadas através de imagens no material apreendido?
  12. Houve exposição de imagens na internet para outros usuários sobre submissão de criança ou adolescente em cenas com teor obsceno confeccionadas através de imagens?
  13. Qual o conteúdo pornográfico compartilhado na internet?
  14. É possível identificar os destinatários?
  15. Existe recepção de mensagens de outros usuários da Internet que contenham submissão de criança ou adolescente em cenas com teor obsceno confeccionadas através de imagens?
  16. Quais os endereços eletrônicos dos remetentes?
  17. Qual o conteúdo recebido?
  18. É possível destacar as páginas da internet acessadas pelos usuários do material apreendido relacionadas a ________?
  19. Os usuários investigados participavam de grupos virtuais e/ou comunidades que divulgavam ou distribuíam arquivos contendo submissão de criança ou adolescente em cenas com teor obsceno confeccionadas através de imagens? Quais são?
  20. Os usuários encontrados utilizavam outras contas de e-mail além da ________? Quais são?
  21. Existe possibilidade de recuperação de arquivos ou mensagens eletrônicas dos computadores?
  22. Em caso positivo, existe no conteúdo recuperado informação que houve publicação ou exposição de atos com submissão de criança ou adolescente em cenas com teor obsceno confeccionadas através de imagens?
  23. Há informações que comprovem obtenção de benefício patrimonial dos usuários ou para outras pessoas com a exposição das ações de submissão de criança ou adolescente em cenas com teor obsceno confeccionadas através de imagens?
  24. Existiram vendas de conteúdo com submissão de criança ou adolescente em cenas com teor obsceno confeccionadas através de imagens?

Objetivos:
Caracterizar o local, vinculando a utilização de equipamento eletrônico ou de informática a prática de crime.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local submetido a exame?
  2. Foram encontradas mídias ou dispositivos de armazenamento de dados?
  3. Foram encontrados equipamentos eletrônicos que possam ser utilizados na prática do crime de ________ ?

PERÍCIAS AMBIENTAIS - ICRIM

Objetivos:
Realizar a identificação taxonômica do espécime animal ou vegetal por meio de características morfológicas e/ou anatômicas, estabelecer se pertencem à fauna/flora brasileira ou exótica, como também averiguar se pertence(m) as listas de espécies ameaçadas de extinção. Busca-se também determinar a ocorrência de matança, caça, posse, guarda ou utilização de espécimes da fauna silvestre ou migratória sem a devida permissão, licença ou autorização, ou em desacordo com as obtidas, incluindo vistorias em criadouros e mantenedores de animais.
Quesitos mais comuns:
  1. Trata-se de espécie(s) da fauna silvestre brasileira?
  2. A(s) espécie(s) é (são) protegida(s) pela legislação ambiental (especificar a lei)?
  3. A(s) espécime(s) apresentam alterações anatomopatológicas dignas de nota (ex. ferimentos, mutilações)?
  4. Caso haja animais mortos, é possível determinar a causa?
  5. Houve atos de abuso ou maus-tratos?
  6. Qual o instrumento, substância, método ou meio utilizado?
Observações:
  • Este exame visa examinar animais silvestres apreendidos, vivos ou mortos, em locais como feiras de pássaros e livres, criadouros clandestinos, sacrificados em zonas agrícolas e pecuárias, como também produto de caça ilegal.
  • O exame também pode ser solicitado para identificação de espécime vegetal.

Objetivos:
Realizar análises ambientais e executar os procedimentos operacionais básicos em ambientes onde há suspeita de ocorrência de supressão de vegetação e/ou intervenções em áreas especialmente protegidas (Área de Preservação Permanente, Unidade de Conservação, Reserva Legal, Áreas dos Biomas Cerrado, Caatinga/outros).
Quesitos mais comuns:
  1. Qual a localização, descrição, dimensões e confrontações da área destruída ou degradada?
  2. A área em questão é de interesse ambiental (considerada de preservação permanente, reserva legal ou unidade de conservação)?
  3. O agente destruiu ou danificou floresta considerada de preservação permanente ou mesmo em formação?
  4. A penetração do agente se deu em período de queda das sementes, formação de vegetações, seca e/ou inundação, à noite, em domingo ou feriado?
  5. A degradação ocorrida suprimiu vegetação ameaçada de extinção ou protegida por lei?
  6. Se possível, indicar o porte (altura) e diâmetro, bem como espécies da floresta remanescente no entorno da área atingida.
  7. Está sendo desenvolvida alguma atividade econômica na área desmatada? Identificar esta atividade (agricultura, silvicultura, pastoreio, mineração, criação de animais).
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame procura aplicar Protocolo Pericial em casos de “supressão de vegetação”, expressão que abrange as diversas práticas utilizadas para alterar ou destruir a vegetação de uma determinada área: corte de árvores e/ou arbustos, no todo, ou em parte; a roçada; a supressão com o uso de maquinários; o soterramento de vegetação; a inundação de vegetação; a destoca de raízes, entre outras ações utilizadas para causar danos aos extratos vegetacionais. Esse procedimento também se aplica ao corte ou danos a plantas de ornamentação realizado em logradouros públicos ou em propriedade alheia.

Objetivos:
Aplicar Protocolo Pericial em Bem-Estar Animal (PPBEA) com o fim de descrever, de forma detalhada, o(s) animal(is); identificar as espécies, indicar se trata de espécie silvestre, doméstica ou domesticada; avaliar o nível de bem-estar animal para fins de configuração ou não de crime de maus-tratos; determinar a(s) causa da(s), meio ou modo da suposta prática de maus-tratos.
Realizar a identificação taxonômica do espécime animal por meio de características morfológicas e anatômicas, estabelecer se pertencem à fauna brasileira ou exótica, como também averiguar se pertence(m) as listas de espécies ameaçadas de extinção. Busca-se também determinar a ocorrência de matança, caça, posse, guarda ou utilização de espécimes da fauna silvestre ou migratória sem a devida permissão, licença ou autorização, ou em desacordo com as obtidas, incluindo vistorias em criadouros e mantenedores de animais.
Quesitos mais comuns:
  1. Existe(m) alguma(s) forma(s) de identificação/marcação do(s) animal(is)?
  2. Os animais apresentavam marcas de propriedade (criações, criadouros ou atividades pecuárias)?
  3. Qual o instrumento, substância, método ou meio utilizado para identificação/marcação do(s) animal(is)?
  4. Qual o valor de mercado dos animais examinados (ativos pecuários, criadouros comerciais)?
  5. Foram identificados modificações anatomopatológicas e/ou clínicas significativas nos animais examinados?
  6. Existe(m) animal(is), morto(s) e, em caso positivo, é possível determinar a causa?
  7. É possível afirmar que houve atos de abuso ou maus-tratos?
  8. Qual(is) o(s) instrumento(s), substância(s), método(s) ou meio utilizado(s)?Trata-se de espécie(s) da fauna silvestre brasileira?
  9. A(s) espécie(s) é (são) protegida(s) pela legislação ambiental (especificar a lei)?
  10. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame procura aplicar Protocolo de Perícia em Bem-Estar Animal (PPBEA) em espécimes vivas. Para casos de identificação da causa da morte (causa mortis), dinâmica do crime e instrumentos/meios utilizados, em casos de mortes suspeitas ou relacionadas à evolução de situações de maus-tratos, requer exame necroscópico.

Objetivos:
Proceder exame pericial em objeto, instrumentos, petrechos ou documentos que possam ter relação com crime ambiental e, se possível, detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. O objeto apresenta potencialidade para prática de crime contra o meio ambiente?
  5. Qual(is) usos esse objeto pode ter na prática de crime ambiental?
  6. Há indícios/vestígios de uso recente, tais como escamas, sangue, penas, pelos, fezes, casacas e materiais vegetais ou outros?
  7. Caso identificados indícios/vestígios, qual espécime vegetal/animal dizem respeito?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial. Ademais, o exame se aplica à realização de perícias em objeto(s), instrumento(s), petrecho(s) ou documentação associados às múltiplas ações delituosas descritas na Lei dos Crimes Ambientais (Lei 9.605/98). Dessa forma, é de suma importância a requisição conter:
  • a) O(s) crime(s) que se investiga;
  • b) Outros quesitos específicos relacionados aos crimes em investigação.

Objetivos:
Identificar a causa da(s) morte(s) (causa mortis) de animais de pequeno porte (ex. cães e gatos), bem como a dinâmica e instrumentos utilizados em casos de mortes suspeitas, como também em decorrência situações avançadas de maus-tratos.
Quesitos mais comuns:
  1. Existe alguma forma de identificação/marcação do animal?
  2. Qual o instrumento, substância, método ou meio utilizado para identificação/marcação do animal?
  3. Foram identificados modificações anatomopatológicas e/ou clínicas significativas nos animais examinados?
  4. É possível determinar a causa da morte do animal?
  5. É possível afirmar que houve atos de abuso ou maus-tratos?
  6. Qual(is) o(s) instrumento(s), substância(s), método(s) ou meio utilizado(s)?

PERÍCIAS AUDIOVISUAIS - ICRIM

Objetivos:
Exame que visa a explicitar o conteúdo registrado em uma gravação de áudio ou imagens. É diferente do exame de Reconhecimento de Padrão por não ter material padrão a ser comparado.
Quesitos mais comuns:
  1. Realizar a análise de conteúdo do(s) trecho(s) XXX do(s) arquivo(s) YYY (ou da mídia questionada).
  2. Explicitar o conteúdo de áudio contido no(s) trecho(s) XXX do(s) arquivo(s) YYY (ou da mídia questionada).
  3. Identificar os caracteres relativos à (ao) (exemplificar: placa de licenciamento, letreiro, cartaz, blusa, veículo etc.), contido(s) no trecho XXX da mídia encaminhada a exame.
  4. No trecho XXX dos registros de vídeo encaminhados a exame, é possível determinar a dinâmica dos eventos? Caso positivo, descreva-a.
  5. Na fotografia (ou no trecho XXX dos registros de vídeo) encaminhada (os) a exame, é possível identificar a marca e modelo do veículo automotor YYY?
  6. Na fotografia (ou no trecho XXX dos registros de vídeo) encaminhada (os) a exame, é possível identificar o objeto(descrever objeto e, se necessário, apontá-lo nas imagens)? Caso positivo, identifique-o.
Observações:
  • Especificar os trechos de interesse, como no formato hora:minuto:segundo a partir do início da reprodução das gravações

Objetivos:
Exame que visa a verificar se as imagens questionadas correspondem a um determinado indivíduo. Esse exame difere do Reconhecimento Facial por não se limitar à análise da face.
Quesitos mais comuns:
  1. O indivíduo cuja imagem está presente no(s) instante(s) XXX do vídeo(s) encaminhado(s) é ________(nome)?
  2. O indivíduo cuja imagem está presente na(s) fotografia(s) (se necessário, apontar o indivíduo na fotografia) encaminhada(s) a exame é ________(nome)?
  3. Os indivíduos cujas imagens estão presentes nas(s) fotografias e no(s) instante(s) XXX do vídeo(s) encaminhado(s) a exame são a mesma pessoa?
  4. Os indivíduos cujas imagens estão presentes nas(s) fotografias encaminhadas a exame são a mesma pessoa?
Observações:
  • Em todos os casos, especificar os instantes a partir do início da reprodução do(s) registro(s) de vídeo encaminhado, relacionar ao registro de vídeo correspondente, e, se necessário, apontar a face no quadro.

Objetivos:
Exame que visa a verificar se marcas impressas encontradas num local de crime são provenientes de determinado objeto ou verificar se determinado objeto contido numa imagem corresponde ao apresentado a exame.
Quesitos mais comuns:
  1. A(s) marca(s) de solado encontrada(s) no local (ou constante na fotografia encaminhada a exame) são compatíveis com as marcas de solado dos calçados apresentados?
  2. A(s) marca(s) pneumática(s) encontrada(s) no local (ou constante da fotografia encaminhada a exame) são compatíveis com as marcas pneumáticas do veículo (ou pneumático) apresentado?
  3. A(s) marca(s), molde(s) ou padrão (ões) gráfico(s) (definir a marca, molde ou padrão gráfico, por exemplo: marca sobre o solo; marca ou padrão gráfico em objeto; diagrama, grafo, desenho, tatuagem ou padrão gráfico qualquer sobre suportes em geral) constante(s) da(s) fotografia(s) encaminhada(s) a exame são compatíveis com a(s) marca(s), molde(s) ou padrão(ões) gráfico(s) que seriam produzidas ou pertencentes ao objeto apresentado?

Objetivos:
Exame que visa a verificar se as faces questionadas correspondem a um determinado indivíduo. Esse exame difere do exame de Reconhecimento de Indivíduos por Imagens por ser limitado à análise da face.
Quesitos mais comuns:
  1. O indivíduo cuja imagem de face está presente no(s) instante(s) XXX (s) do vídeo encaminhado é ________(nome)?
  2. O indivíduo cuja imagem de face está presente na(s) fotografia(s) (se necessário, apontar a imagem da face na fotografia) encaminhada(s) a exame é ________(nome)?
  3. As imagens de face presentes nas(s) fotografia(s) e no(s) instante(s) XXX do(s) vídeo(s) encaminhado (s) a exame são do mesmo indivíduo?
  4. As imagens de face presentes na(s) fotografia(s) encaminhada(s) a exame são do mesmo indivíduo?
Observações:
  • Em todos os casos, especificar os instantes a partir do início da reprodução do(s) registro(s) de vídeo encaminhado, relacionar ao registro de vídeo correspondente, e, se necessário, apontar a face no quadro.

Objetivos:
Exame que visa a verificar se os registros de áudio ou imagens sofreram alguma modificação.
Quesitos mais comuns:
  1. Há indícios de edição no(s) instante(s) XXX do arquivo YYY (ou da mídia questionada)?
  2. Há indícios de que o material apresentado a exame não é original? Caso positivo, tais indícios indicam a existência de edições?
Observações:
  • Especificar os trechos de interesse, como no formato hora:minuto:segundo a partir do início da reprodução das gravações.

Objetivos:
Exame que visa a verificar se a gravação questionada foi produzida por determinado equipamento, verificando a compatibilidade de gravação de áudio ou imagens com o equipamento gravador.
Quesitos mais comuns:
  1. As imagens/registros de áudio questionados podem ter sido produzidas pelo equipamento apresentado a exame?

Objetivos:
Exame que visa a verificar se as falas questionadas foram proferidas por determinado indivíduo.
Quesitos mais comuns:
  1. A voz presente no(s) instante XXX a partir do início da reprodução dos registros de áudio contidos no arquivo (ou na mídia) encaminhado (a) a exame foi produzida por ___________(nome) ?
  2. A voz do interlocutor denominado (ou autodenominado) ________(nome), presente nos registros de áudio contidos no arquivo (ou na mídia) encaminhado (a) a exame foi produzida por __________(nome)?
  3. A voz presente nos registros de áudio contidos no arquivo (ou na mídia) encaminhado (a) a exame, atribuída a __________(nome) no resumo (ou transcrição) constante deste expediente foi produzida por __________(nome)?
Observações:
  • Especificar os trechos de interesse, como no formato hora:minuto:segundo a partir do início da reprodução das gravações.

PERÍCIAS DE TRÂNSITO - ICRIM

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

PERÍCIAS EM OBJETOS - ICRIM

Objetivos:
Promover a avaliação dos objetos apresentados, levando em em consideração a análise das características técnicas e comerciais destes, considerando o seu valor e a depreciação causada pelo uso, danos sofridos e desatualização mercadológica.

Quesitos mais comuns:
  1. Qual a espécie, características e estado de conservação dos objetos submetidos a exame?
  2. Quais as características do objeto submetido a exame?
  3. O objeto apresentado a exame encontra - se em bom estado de uso e conservação?
  4. O objeto encontra - se danificado ?
  5. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  6. Caso o objeto encontre - se danificado, quais os instrumentos e meio fora empregado para causar tal dano?
  7. Qual o valor estimado dos danos causados?
  8. Os objetos encaminhados são originais ou cópias de originais?
  9. Quais os valores dos objetos acima mencionados no mercado?
  10. Os objetos apresentados a exame são de metais preciosos (ouro, prata, etc?)
  11. Qual o percentual de desvalorização de objeto similar, por cada ano de uso.
  12. Caso não mais exista o referido objeto no mercado, qual o valor de um objeto assemelhado, com as mesmas
  13. características, do objeto em análise.

Objetivos:
Promover a avaliação, de forma indireta, considerando os dados presentes em requisições, notas fiscais ou qualquer outro documento que o determine, de forma inequívoca, as características técnicas e comerciais do mesmo.
Quesitos mais comuns:
  1. É possível se avaliar o objeto de forma indireta?
  2. Quais os valores dos objetos acima mencionados no mercado?
  3. Caso não mais exista o referido objeto no mercado, qual o valor de um objeto assemelhado, com as mesmas características, do objeto em análise?

Objetivos:
Promover a avaliação de objeto supostamente explosivo, descrevendo suas características, estado, seu uso e destinações.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características das peças submetidas a exame pericial (dimensões, peso, marca etc.)?
  2. - Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Apresentam características de serem materiais explosivos?
  4. Nas condições em que se encontram, podem ser utilizados para a prática de crime de ___________?
Observações:
  • Materiais supostamente explosivos não serão recebidos nem armazenados neste instituto.
  • O perito do instituto somente realizará o exame caso não haja nenhum risco a sua vida.
  • Caso seja necessário transporte o armazenamento do material supostamente ex

Objetivos:
Promover a avaliação de objeto, descrevendo suas características, danos encontrados, seu uso e destinações.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características das peças submetidas a exame pericial (dimensões, peso, marca etc.)?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame? Quais os instrumentos e meio utilizados?
  3. O objeto encontra-se danificado?
  4. O objeto apresentado a exame encontra-se em bom estado de uso e conservação?
  5. São materiais explosivos e/ou inflamáveis?
  6. Nas condições em que se encontram, podem ser utilizados para a prática de crime de ___________?
  7. São originais ou cópias de originais?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS ESPECIAIS - ICRIM

Objetivos:
Proceder aos exames que envolvam a realização de exame de local e/ou as análises de contratos públicos e/ou a qualidade e/ou quantidades relativas às obras.
Quesitos mais comuns:
  1. Os custos unitários da obra estão compatíveis com os valores praticados pelo mercado da construção civil na época em questão?
  2. A obra foi executada de acordo com as Especificações e Projetos?
  3. Os quantitativos previstos correspondem aos serviços executados?
  4. Houve superfaturamento (ou dano ao Erário)? Se positivo, qual o montante?

Objetivos:
Proceder exame de qualquer sinistro de obra de engenharia, relacionado a falhas de
projeto ou procedimentos, cuja análise envolva conhecimentos específicos da área.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi a obra de engenharia examinada?
  2. Quais as condições de uso e conservação da obra examinada?
  3. O uso da obra de engenharia estava adequado aos fins para que foi projetada?
  4. Qual foi a causa do sinistro?
  5. A causa do sinistro está relacionada a falhas técnicas de projeto ou de execução?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Conjunto de procedimentos adotados para esclarecer, se a infração penal ocorrera de determinado modo, utilizando-se das descrições "in loco" dos atores da citada infração, analisando-as e comparando-as entre si e com os vestígios materiais deixados por ocasião da sua ocorrência, objetivando unicamente saber-se da coerência, ou não, das versões.
Quesitos mais comuns:
  1. Conforme dúvidas existentes dentro do Inquérito
Observações:
  • Deverá ser enviada, com a requisição, copia do inquérito policial.

PERÍCIAS EXTERNAS - ICRIM

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

QUÍMICA FORENSE - ICRIM

Objetivos:
Caracterizar sustâncias supostamente entorpecentes, identificando a presença de Cocaína ou Canabinoides.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual a natureza da substância apresentada a exame?
  2. Quais suas características e peso exato?
  3. O material apresentado a exame tem propriedades entorpecentes?
  4. Em caso afirmativo, causa dependência física e/ou psíquica?
Observações:
  • Evitar discriminar a massa das substâncias (para não ocorrer equívocos).
  • Evitar acondicionar conjuntamente substâncias distintas (ex. pó branco junto com pó bege).
  • Discriminar corretamente o número de volumes e evitar descrições desnecessárias (para não ocorrer equívocos)."


INSTITUTO DE DNA FORENSE

BIOLOGIA FORENSE - IDNA

Objetivos:
Pesquisar e constatar a presença de sangue humano e/ou sêmen
humano em objetos ou peças de vestuário.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto/peça de vestuário submetido(a) a exame pericial?
  2. Qual o estado de uso e conservação do objeto analisado?
  3. O(a) objeto/peça de vestuário submetido (a) a exame apresenta vestígios de sangue?
  4. Em caso afirmativo, trata-se de sangue humano?
  5. A peça de vestuário submetida a exame apresenta vestígios de sêmen? (*Situação 01)
Observações:
  • Situação 01: Casos de crimes sexuais.
  • Não colocar fita adesiva ou etiqueta diretamente no material a ser periciado, e sim na embalagem de acondicionamento do material.
  • Os objetos devem ser acondicionados em embalagem individual.
  • Não encaminhar amostrar úmidas em embalagens plásticas fechadas. Nesses casos, se possível, submeter à secagem em caixa de papel ou encaminhar o mais breve possível para o laboratório;
  • Indicar se é necessário coletar amostra para confronto genético. Essa coleta é realizada sempre que necessário pela equipe pericial como contraprova em caso de exames REAGENTES para o vestígio, nos casos de solicitação expressa, serão coletadas além da contraprova, amostras para exame de DNA forense e outros.

GENÉTICA FORENSE - IDNA

Objetivos:
Confronto genético entre amostras de local e de referência de vítima e/ou suspeitos.
Quesitos mais comuns:
  1. É possível obter perfil genético das amostras apresentadas? (Situação 01*)
  2. O perfil genético obtido da amostra questionada é compatível com algum dos perfis genéticos de referência apresentados? (*Situação 01)
  3. Os perfis genéticos obtidos das amostras coletadas no dia XX de XX de XXX (Ocorrência XXX/2020/Demanda XXXXXX) são compatíveis com o material genético que porventura tenha sido obtido da amostra coletada no dia XX de XX de XXX (Ocorrência XXX/2020/Demanda XXXXXX)? (*Situação 02)
  4. É possível a obtenção de perfil genético no material questionado, ou seja, (descrição da amostra)_________________________? Em caso positivo, é possível a inclusão do perfil obtido no banco de perfis genéticos? (*Situação 03)
  5. Outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Situação 01: Quando se apresenta suspeito ou quer se delimitar se a amostra biológica coletada pertence à vítima.
  • Situação 02: Quando se quer comparar vestígios encontrados em locais de crime distintos (ocorrências distintas ou interligadas), por exemplo, crimes contra o patrimônio tais como assaltos a agencias bancárias com suspeita de participação dos mesmos agentes.
  • Situação 03: Quando se tem apenas a amostra questionada.
  • A coleta, busca, inclusão e exclusão do Perfil Genético do Banco de Perfis Genéticos, está fundamentada na Lei 12.654/2012.
  • Sempre que possível, encaminhar amostra de referencia de exclusão;
  • Nos casos de confronto de perfis genéticos obtidos de amostras questionados, as amostras devem ser acompanhadas de Formulário de Coleta de Amostra Biológica (FCAB), onde se relata todas as informações pertinentes ao local da coleta, bem como, um relatório circunstanciado da investigação.

Objetivos:
Confrontar perfis genéticos obtidos em amostras biológicas coletados em local de crime sexual, obtidos na vítima durante exame de corpo de delito ou cadavérico e/ou em vestes com as amostras de referências fornecidos pelas vítimas e/ou suspeitos).
Quesitos mais comuns:
  1. É possível a obtenção de perfil genético a partir das amostras apresentadas?
  2. É possível a obtenção de perfil genético no material questionado para futuro confronto?(*Situação 03)
  3. Pode-se afirmar que o perfil genético obtido do material questionado, ou seja, _____________________________,é compatível com o perfil biológico de ________________________, o(a) qual é suposto(a) (pai, mãe, filho, irmão, etc)? (*Situação 04)
  4. O perfil genético é passível de confronto? Caso positivo, é compatível com aquele obtido a partir do material de referência coletado de ______________________ (e/ou de _______________________________)? (*Situação 01)
  5. Pode-se afirmar que o perfil genético obtido do material questionado 01, ou seja, (descrever o local de coleta ou objeto relacionado), é compatível com o perfil genético obtido do material questionado, ou seja, (descrever o local de coleta ou objeto relacionado?(*Situação 02)
  6. Outros dados que achar pertinentes.
Observações:
  • Situação 01: Quando se tem a amostra questionada e a amostra de referência da vítima e/ou suspeito.
  • Situação 02: Quando se tem apenas amostras questionadas.
  • Situação 03: Quando se tem apenas uma amostra questionada sem nenhuma amostra de referência.
  • Situação 04: Quando se tem a amostra questionada e a amostra de referência de (parentes próximos, ascendentes ou descendentes diretos).
  • Sempre que possível, encaminhar referencia de exclusão caso a vítima tenha tido relações sexuais consensuais antes do crime.
  • As amostras questionadas devem vir acompanhadas de Formulário de Coleta de Amostra Biológica próprio, onde se relata todas as informações pertinentes ao local da coleta e/ou um relatório circunstanciado da investigação.

Objetivos:
Trata-se de exame de identificação humana entre amostras de cadáver ignorado ou ossada e amostras de referência de familiares.
Quesitos mais comuns:
  1. É possível a obtenção de material genético humano a partir do material encaminhado?
  2. Pode-se afirmar que o perfil genético obtido do material questionado, ou seja, (descrever material) _____________________, é compatível como perfil genético obtido do material de referência direta encaminhado, ou seja, (descrever material) ______ _______________ sabidamente pertencente a _______________________________? (*Situação 01)
  3. Pode-se afirmar que o perfil genético obtido do material questionado, ou seja, suposto_________________ , é compatível com o perfil biológico de ______________, o qual é o(a) (pai, mãe ou filho) ? (*Situação 02)
  4. Pode-se afirmar que o perfil genético do material encaminhado obtido dos restos mortais (dente, objetos, músculo e etc) refere-se ao mesmo indivíduo? (*Situação 03)
Observações:
  • Situação 01: Quando se tem a amostra questionada e a amostra de referência direta (escova de dentes, lâmina de barbear, prótese dentária, relógio, etc).
  • Situação 02: Quando se tem a amostra questionada e a amostra de referência (parentes próximos, ascendentes ou descendentes diretos).
  • Situação 03: Quando se tem apenas amostras questionadas.
  • Dá-se preferência para os genitores ou filhos do cadáver ignorado/ossada. Não sendo possível, coleta-se de irmãos (pelo menos dois) ou, ainda não sendo possível, dos avos paternos e maternos.
  • Evitar quesitações amplas, delimitando-se o grau de parentesco que se busca (hipótese específica).

Objetivos:
Definir vínculo de paternidade entre a criança supostamente gerada pelo crime de estupro e o suspeito do crime.
Quesitos mais comuns:
  1. Pode-se afirmar que o perfil genético obtido do material biológico coletado de ________________(criança/recém-nascido), filho(a) de ______________ é compatível com o perfil biológico de _________________ (pai ou mãe)?
Observações:
  • É necessário que seja encaminhada criança/recém-nascido, a vítima (mãe da criança), o suposto pai(acusado) e, caso a vítima seja menor de idade, a mesma deve ser acompanhada por responsável legal.
  • As partes, incluindo responsável, devem ser apresentadas de posse dos respectivos documentos de identificação com foto;
  • Todas as partes assinaram TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO, autorizando o uso da amostra para fins de exame de DNA exclusivamente ligado ao caso em tela.


INSTITUTO DE IDENTIFICAÇÃO

BIOMETRIA FORENSE - II

Objetivos:
Fazer a pesquisa no AFIS (Automated Fingerprint Identification System) e arquivo do Instituto de Identificação das digitais levantadas pelos peritos, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. As impressões papilares ou fragmentos papiloscópicos revelados e coletados apresentam condições técnicas para exames periciais de confronto?
  2. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões ou fragmentos coletados em batimento com as impressões digitais constante no banco de dados ?
  3. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Promover a identificação parcial de indivíduo, através de projeção de envelhecimento aplicado a uma fotografia, realizado por um perito na área de identificação humana.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do suspeito descritas pelas testemunhas?
  2. É possível a confeccão de projeção de dirfaces e/ou envelhecimento?
  3. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Se possível, enviar imagens de parentes de linha reta que possam ser utilizadas para a confecção da projeção.

Objetivos:
Promover a identificação de indivíduo através da medição e estudo das ciências constitutivas da face que, através de processo técnico – metodológico visando estabelecer e identificar pontos característicos semelhantes e divergentes de uma face humana em relação a outra.
Observações:
  • Promover a identificação de indivíduo através da medição e estudo das ciências constitutivas da face que, através de processo técnico – metodológico visando estabelecer e identificar pontos característicos semelhantes e divergentes de uma face humana em relação a outra.

Objetivos:
Promover a identificação parcial de indivíduo, através do desenho artístico, técnico e científico, realizado por um perito na área de identificação humana.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do suspeito descritas pelas testemunhas?
  2. É possível a confecção da representação facial?
  3. Há outros dados julgados úteis?


INSTITUTO MÉDICO LEGAL

ANTROPOLOGIA FORENSE - IML

Objetivos:
Identificação de corpos e ossadas não identificados além de determinar a  causa mortis a fim de subsidiar a produção de laudo técnica.

PLANTÃO - IML

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?

Objetivos:
Identificar cadáveres em diversos estágios de decomposição e condições de morte por meio do exame das papilas dérmicas e cristas de fricção, geralmente casos de cadáveres que apresentem identidade desconhecida ou muitas vezes questionada.

SERVIÇO DE ATENDIMENTO À VÍTIMA DE VIOLÊNCIA SEXUAL (SAVVIS) - IML

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?


NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - BOM JESUS

PERÍCIAS EXTERNAS - NMPTC11

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NMPTC11

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?


NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - PARNAÍBA

BALÍSTICA FORENSE - NMPTC1

Objetivos:
Examinar o(s) objeto(s), determinando as características básicas (peso,
dimensões) , eficiência, compatibilidade entre os ente eles, calibre, número de lote, vestígios se sangue, se foi expelido mediante disparo de arma de fogo, se as munições são de uso restrito ou de uso permitido, se poderão ser utilizados em futuro exame de comparação balística. Determinar as características básicas e a eficiência de objetos que imitam armas de fogo para perpetração de crimes.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual a espécie das armas e/ou munições?
  2. Qual o calibre das armas e/ou munições?
  3. As armas apresentam-se municiadas?
  4. Qual o estado de uso e conservação das armas e munições
  5. Poderiam ter sido usadas eficazmente na realização de disparos?
  6. Apresentam marca, numeração ou qualquer sinal de identificação suprimido ou alterado?
  7. Apresentam vestígios produzidos por disparos recentes?
  8. Quais as características do objeto submetido a exame?
  9. Qual o formato do referido objeto?
  10. O objeto pode ser usado na prática de crime?
  11. Quais as características do objeto submetido a exame?
  12. Qual o calibre do projétil apresentado a exame?
  13. Da forma como se encontra é possível submetê-lo a realização de futuro exame de comparação balística?
  14. Há na arma, manchas de sangue? (*Quesito NÃO RECOMENDADO 01)
Observações:
  • Quesito não recomendado 01: Este tipo de quesito só deve ser empregado nos casos em que sua resposta seja determinante para investigação, pois para que seja feita esta análise, há um aumento do tempo e custo de realização do exame.
  • Na Requisição, quando citar o número de identificação da arma é importante que venha acompanhado do termo
  • “aparentemente” ou “supostamente” uma vez que o exame pode revelar outra numeração. Deve conter também
  • quantidade e tipo CORRETO de material encaminhado

PERÍCIAS EXTERNAS - NMPTC1

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NMPTC1

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?

Objetivos:
Identificar cadáveres em diversos estágios de decomposição e condições de morte por meio do exame das papilas dérmicas e cristas de fricção, geralmente casos de cadáveres que apresentem identidade desconhecida ou muitas vezes questionada.

QUÍMICA FORENSE - NMPTC1

Objetivos:
Caracterizar sustâncias supostamente entorpecentes, identificando a presença de Cocaína ou Canabinoides.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual a natureza da substância apresentada a exame?
  2. Quais suas características e peso exato?
  3. O material apresentado a exame tem propriedades entorpecentes?
  4. Em caso afirmativo, causa dependência física e/ou psíquica?
Observações:
  • Evitar discriminar a massa das substâncias (para não ocorrer equívocos).
  • Evitar acondicionar conjuntamente substâncias distintas (ex. pó branco junto com pó bege).
  • Discriminar corretamente o número de volumes e evitar descrições desnecessárias (para não ocorrer equívocos)."


NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - PICOS

PERÍCIAS EXTERNAS - NRPTC7

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NRPTC7

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?


NÚCLEO MACRORREGIONAL DE POLÍCIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - SÃO RAIMUNDO NONATO

PERÍCIAS EXTERNAS - NMPTC9

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NMPTC9

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?


NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - CORRENTE

PERÍCIAS EXTERNAS - NRPTC12

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NRPTC12

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?


NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTIFICA - FLORIANO

PERÍCIAS EXTERNAS - NRPTC5

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NRPTC5

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?


NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - PIRIPIRI

PERÍCIAS EXTERNAS - NRPTC3

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NRPTC3

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?


NÚCLEO REGIONAL DE POLICIA TÉCNICO-CIENTÍFICA - URUÇUÍ

PERÍCIAS EXTERNAS - NRPTC10

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, coletar vestígios e analisar evidências, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica da morte.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Como os objetos estão dispostos no local?
  3. Houve morte?
  4. A morte foi natural ou violenta?
  5. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  6. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  7. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação ao consumo irregular de bens ou serviço da unidade consumidora examinada, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve ou estava havendo consumo irregular de __________________?
  3. Em caso afirmativo ao, qual o instrumento ou meio empregado?
Observações:
  • Este exame geralmente é solicitado para constatação de consumo irregular de energia, água, gás ou outro produto ou serviço.

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de disparo de arma de fogo e  projéteis, e, constatações de fresta no local, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a ação, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual o local submetido a exame?
  2. Existe no local sinais de luta ou violência? Quais os sinais encontrados?
  3. Foi encontrado no local algum objeto que possa ter relação com o fato motivador do exame pericial?
  4. Quais os objetos encontrados e qual a sua relação com o fato motivador do exame pericial?
  5. Há vestígios de sangue no local?
  6. Em caso positivo, trata-se de sangue humano?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de arrombamento e/ou escalada do no imóvel, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Houve arrombamento?
  3. Quais os instrumentos e meios utilizados?
  4. Houve emprego de chave falsa?
  5. Houve escalada ou destreza?
  6. Foi subtraído algum objeto?

Objetivos:
Caracterizar o local, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de existência de incêndio criminoso ou acidental, fornecendo subsídios para constatação de danos e informações sobre a dinâmica, caso seja possível.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve incêndio?
  2. Foi total ou parcial?
  3. Onde teve início o fogo?
  4. Qual a sua causa?
  5. Não sendo possível determinar a sua causa, qual a mais provável?
  6. Havia em depósito, ou derramada, e ou em algum lugar, qualquer matéria explosiva ou inflamável?
  7. Do incêndio resultou perigo para a vida humana ou para o patrimônio alheio?
  8. Qual a extensão do dano causado?
  9. Qual o valor do dano causado?

Objetivos:
Registrar a materialidade dos fatos, compreender as circunstâncias em que o mesmo ocorreu, determinando os instrumentos e meios utilizados, coletar vestígios e analisar evidências,  realizar exame perinecroscópico do cadáver quando possível, a fim de que o acervo informativo possa indicar a provável dinâmica e a causa jurídica em local em que houve ou possa ter havido morte violenta.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Ha indícios de preparação da suposta cena do crime?
  3. Como os objetos estão dispostos no local?
  4. Ha sinais de luta no ambiente?
  5. Houve morte?
  6. A morte foi natural ou violenta?
  7. De acordo com os vestígios encontrados no local, a morte foi resultado de homicídio, suicídio ou acidente?
  8. Qual o instrumento ou meio que a ocasionou?
  9. Vincados os fenômenos cadavéricos instalados, em que época se presume, ter ocorrido a morte?
  10. A morte se deu no local onde o corpo foi encontrado?
  11. Foi encontrado no local algum objeto relacionado com evento morte?

Objetivos:
Examinar o local em que houve ou possa ter havido morte ou lesão corporal em decorrência de acidente de tráfego, realizando vistoria nos veículos envolvidos quando possível com a finalidade determinar onde, como e quando se deu o fato.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as condições da pista no momento do acidente?
  2. Havia sinalização adequada no local?
  3. Quais os veículos envolvidos no acidente?
  4. Qual a provável velocidade dos veículos envolvidos no acidente em tela?
  5. É possível determinar qual o veículo causador do acidente?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de roubo, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Foi subtraído algum objeto?
  3. Havia sinais de violência?

Objetivos:
Caracterizar o local submetido a exame, descrevendo com fidelidade tudo quanto interessar possa, em relação aos vestígios materiais que evidenciem a ocorrência de  crime de natureza sexual, fornecendo dados para a materialização do delito.
Quesitos mais comuns:
  1. Há presença de secreções corporais no local?
  2. Há sangue no local?
  3. Há vestígios de vestimentas ou qualquer outro objeto de uso pessoal no local?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em local que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas na cena de crime, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o local examinado?
  2. Quais as condições do local submetido a exame?
  3. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  4. Há evidências de impressões papilares?
  5. É possível a coleta de impressões papilares?
  6. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  7. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.- A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se investiga e aos aspectos que devem ser analisados pelo perito no local.
  • Caso necessário agendar junto ao gestor do instituto para que seja designado perito com conhecimento específico."

Objetivos:
Examinar objeto que possa ter relação com ocorrência de tráfego, caracterizando e extraindo as informações possíveis e necessárias para responder a quesitação.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto submetido a exame pericial?

Objetivos:
Proceder a um minucioso e acurado exame  pericial em objeto que possa ter relação com a cena de crime em análise e se possível detectar vestígios para definir a materialidade, a autoria e a forma como se praticou determinado delito, coletando e perpetuando os vestígios encontrados, visando fornecer subsídios para a autoridade competente para poder caracterizar e qualificar a ação penal.
E quando quesitado, levantar impressões papilares deixadas em objetos, selecionar aquelas que possuam condições técnicas de serem individualizadas através do assinalamento de pontos característicos e realizar exames de confronto com padrões papiloscópicos, inseridos no Sistema AFIS e/ou com impressões digitais de suspeitos, com a finalidade de identificar que as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Qual foi o objeto examinado?
  2. Quais as características do objeto examinado?
  3. Quais as condições do objeto submetido a exame?
  4. Há vestígios que possam ser relacionados ao crime de ___________?
  5. Há evidências de impressões papilares?
  6. É possível a coleta de impressões papilares?
  7. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
  8. Há outros dados julgados úteis?
Observações:
  • Este exame somente deve ser solicitado para casos específicos que não se enquadrem em nenhum outro exame pericial.
  • A requisição deve conter o crime(s) que se investiga.
  • A requisição deve conter quesitos específicos relacionados ao(s) crime(s) que se

Objetivos:
Realizar vistoria em veículo supostamente envolvido em acidente de tráfego, descrevendo o veículo, bem como as avarias e reparos que sofreu.
Quesitos mais comuns:
  1. O veículo submetido a exame encontra-se avariado ou com sinais de reparos?
  2. Quais as partes avariadas?
  3. São recentes tais avarias ou reparos?
  4. Tais avarias podem ter sido provocadas por acidente de tráfego?
  5. Há vestígio de tinta de outro veículo e qual a cor?

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar locais relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
O exame tem como finalidade analisar objetos relacionados à prática de crime através de fotografias e informações enviadas pelo requisitante.

Objetivos:
Caracterizar o objeto da perícia, descrevendo com fidelidade tudo quanto possa interessar, em relação aos danos sofridos e o instrumento que os produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Quais as características do objeto da perícia?
  2. Houve destruição, inutilização ou deterioração da coisa submetida a exame?
  3. Qual o meio e quais os instrumentos empregados?
  4. Houve emprego de substância inflamável ou explosiva?
  5. Qual o valor do objeto danificado?
  6. Qual o valor provável do prejuízo?
Observações:
  • Neste exame o perito faz a verificação de danos em qualquer bem ou objeto, incluindo veículos.

Objetivos:
Proceder a análise de objetos ou locais verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o local/objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?

Objetivos:
Proceder a análise de objetos verificando a viabilidade da revelação e coleta de vestígios papiloscópicos latentes, realizar os procedimentos de pesquisas, análises e confrontos das estruturas morfológicas, a fim de determinar, de forma inequívoca, a identidade de quem as produziu.
Quesitos mais comuns:
  1. Em que consiste o objeto submetido a exame?
  2. Há evidências de impressões papilares?
  3. É possível a coleta de impressões papilares?
  4. Há possibilidade de identificação de pessoas através das impressões papilares colhidas?
Observações:
  • Objeto deve ser manuseado com extremo cuidado até a análise pericial, afim de não comprometer as impressões latentes que nele possam haver.

PERÍCIAS MÉDICO-LEGAIS - NRPTC10

Objetivos:
Fazer a coleta de material genético de acordo com as práticas recomendáveis para posterior encaminhamento.

Objetivos:
O exame ad cautelam é feito para verificação de lesão corporal em detentos(as) para saber se sua integridade física foi mantida durante seu transporte a caminho da delegacia, tribunal, ou em uma transferência de presídio.

Objetivos:
Tem como finalidade constatar a morte e suas nuances legais, materializando através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve morte?
  2. Qual a causa da morte?
  3. Qual instrumento ou meio que produziu a morte?
  4. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia, tortura, ou qualquer outro meio insidioso ou cruel?
  5. Houve esmagamento, dilaceramento ou outros tipos de lesões?
  6. Tais lesões podem ter sido produzidas por acidente de tráfego?
  7. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar ou não o estado clínico de entorpecimento por álcool ou outras drogas.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente está embriagado?
  2. No caso afirmativo, qual a espécie de embriaguez?
  3. No estado em que se encontrava põe em risco a segurança própria ou alheia?
  4. É possível determinar se o paciente se embriaga habitualmente?
  5. Qual a concentração alcoólica por litro de sangue ou por litro de ar expelido pelos pulmões?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de lesão corporal e sua intensidade a fim de produzir o laudo pericial que terá o papel de materializar o tipo penal através da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve ofensa à integridade física ou a saúde do examinado?
  2. Qual o instrumento ou o meio que a produziu?
  3. Foi produzida por meio de veneno, fogo, asfixia tortura ou outro meio insidioso ou cruel?
  4. Resultará incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  5. Resultará incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou perda ou inutilidade de membro, sentido ou função ou deformidade permanente?
  6. Há outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Verificar em um segundo exame a persistência das sequelas e lesões constatadas no primeiro exame, a fim de complementar o acervo informativo necessário para materializar o materializar o tipo penal.
Quesitos mais comuns:
  1. O paciente acha-se curado das ofensas físicas recebidas?
  2. No caso negativo, quantos dias mais serão necessários para sua completa cura?
  3. Resultou debilidade permanente de membro, sentido ou função?
  4. Resultou perda ou inutilização de membro, sentido ou função?
  5. Resultou incapacidade permanente para o trabalho ou enfermidade incurável?
  6. Resultou deformidade permanente?
  7. Outros dados julgados úteis?

Objetivos:
Constatar a ocorrência ou não de ato libidinoso e/ou conjunção carnal que tipifique crimes contra a liberdade sexual para produção da prova técnica.
Quesitos mais comuns:
  1. Houve estupro?
  2. Houve violência? Se houve, qual o meio empregado?
  3. O indivíduo examinado praticou (ou permitiu que com ele se praticasse) ato libidinoso diverso da conjunção carnal?
  4. Em que consistiu este ato?
  5. O indivíduo examinado foi a isso constrangido mediante violência?
  6. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias, ou perigo de vida, ou debilidade permanente ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função, ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável, ou deformidade permanente?
  7. Existem vestígios de conjunção carnal, em caso afirmativo, qual a data provável dessa conjunção carnal?
  8. Existem Vestígios de prática de atos libidinosos?
  9. Existe vestígios de esperma na examinada?
  10. A pessoa examinada é alienada ou débil mental ou menor de 14 anos?
  11. Houve qualquer outra causa que impossibilitasse à examinada de oferecer resistência?
  12. Houve outra causa adversa da idade não maior de quatorze anos, alienação ou debilidade mental, que a impossibilitasse de oferecer resistência?
  13. Da violência resultou para a vítima incapacidade para as ocupações habituais por mais de trinta dias ou perigo de vida, ou debilidade permanente, ou perda ou inutilização de membro, sentido ou função ou incapacidade permanente para o trabalho, ou enfermidade incurável ou deformidade permanente, ou aceleração de parto ou aborto?